Yo yo Folks, Whatzzupp?

Cara, ontem recebi o comentário mais incrível da minha carreira como blogueiro e pseudo-escritor de aviação: “Escritor visionário com pensamentos á frente do seu tempo”. Isso fez cada caractere, palavra, frase e tempos investidos no Aeroagora tenham valido a tempo. Obrigado!

O livro A Arte da Guerra foi um tratado militar escrito no século IV a.C. pelo estrategista Sun Tzu. E hoje ele pode (e por vezes deve) ser usado para situações reais do nosso cotidiano aeronáutico. Contanto que seu uso seja ético. Pois dentro do mercado aeronáutico, planejamento, estratégia e liderança são os pré-requisitos de quem quer crescer. Ainda mais em um mercado que a cada dia se tornar mais corporativo e com princípios administrativos.

Os sete valores do aviador estratégico

Entenda, parafrasearei cada um dos ensinamentos aqui colocados, pois não estamos em guerra. Contudo, o objetivo do texto é fornecer uma ferramenta para lhe ajudar a se tornar o que quer. Quem me conhece intimamente sabe que eu sonho com uma companhia específica, com um avião específico, com uma cidade específica, e com situações específicas para minha carreira. E por conta disso, faço auto-análises de consciência constantemente para verificar se minha estratégia está no rumo certo. Cruzo com estórias que já conheço, e com os requisitos do mercado, assim sabendo o exato passo que estou do meu objetivo final. A estratégia seria o meio pelo qual se conquista os seus sonhos, o seu emprego. E o tendo, você poderá se tornar um exímio aviador, ou então, com a falta de preparo, ou trabalhar com os mínimos, estará fadado ao fracasso.

Quando você estiver em seu preparo estratégico de que aviador quer se tornar, deve questionar:

  1. Qual piloto está na companhia e avião que você almeja estar?
  2. Qual é o piloto mais talentoso da companhia que você quer?
  3. Qual é a empresa aérea que melhor sabe aproveitar seus recursos de maneira criativa para que seu império não esteja sob risco?
  4. Quais empresas aéreas tem as melhores regras que se encaixam no seus objetivos?
  5. Quais são as melhores tripulações da companhia que almeja estar?
  6. Quais são as tripulações mais bem preparadas?
  7. Qual a tripulação que melhor administra os recursos e escassez de acordo com o cenário aéreo?

Sabendo destes sete princípios, você saberá quais o cenário que estará voando, qual a cultura organizacional da companhia e principalmente em quem você irá se inspirar para chegar ao topo da sua capacidade. Logo, saberá também quem será um piloto exímio e quem estará fadado ao fracasso. Entenda, o mais importante na sua carreira não é o tempo que investiu ou o quanto foi persistente, mas sim a vitória. Não se prolongue em uma empresa que não lhe permite crescer, nem invista os recursos em uma escola só porque ela faz um bom marketing.

Autoconhecimento Aeronáutico

Bixo, eu já falei demais disso aqui. Eu para criar o Aeroagora, dediquei dois anos da minha vida lendo livros, fazendo reflexões com o único intuito de conhecer a mim mesmo. Conheça a si mesmo e a empresa que sonha e, em independe temente de quando você fizer a seleção, ou mesmo a crise que estiver açoitando o seu país, você nunca correrá perigo. Conheça a si mesmo, mas desconheça o seu meio aeronáutico, e suas chance de ganhar e perder serão iguais. Desconheça a si mesmo e ao seu inimigo e você sempre correrá perigo. Quem conhece a si mesmo e conhece o inimigo, pode garantir a vitória. Quem conhece o tempo e o terreno, a alcançará de modo absoluto.

Sabedoria Aeronáutica

Sabedoria trata-se de racionalidade, moderação, humildade de entender que não é possível saber de tudo. Um piloto em formação começa a carreira adquirindo conhecimento, ou seja, recebendo informações. Ele estuda os cinco temas base da formação aeronáutica, e desenvolve suas habilidades práticas nas horas de voo. Quando estiver formado, este piloto torna-se sábio, que é o know-how, a fluência de voo, a habilidade de fazer muito com o conhecimento pouco que se tem.

Dentro do mercado aeronáutico, o que todo mundo sabe não se chama sabedoria. A vitória dentro de um processo seletivo obtida por meio de provar que sabe o mesmo que todos, mostra que tem uma boa memória, mas não se considera uma boa vitória. Nos tempos antigos, os bons guerreiros venciam quando era fácil vencer. Por essa razão, as vitórias conseguidas por eles não trouxeram reputação, sabedoria, mérito ou distinção.

O bom guerreiro toma posição onde não pode perder e atenta ao que leva o inimigo à derrota. Assim o piloto deve ser: saber o que a companhia irá lhe pedir antes que ela peça. Um piloto vitorioso ganha primeiro e luta depois. Um perdedor luta primeiro e tenta obter a vitória depois. Tudo é questão de preparo.

A preparação aeronáutica envolve estar pronto para as oscilações do mercado, e permanecer empregado. É fazer-se valer a pena. Os que são hábeis na lei da guerra fazem o inimigo se mover segundo a sua vontade, criando situações desvantajosas para ele. Para o empregador, ele jamais encontrará um piloto como você. Por essas razões, o bom guerreiro sabe vencer sozinho. Ele busca eficácia no ímpeto, e não nas pessoas. Ele escolhe os companheiros estrategistas apropriados para a missão, e deixa que a propensão siga seu curso.

Mais importante: seja por idade, seja por crise, todos estamos fadados ao desemprego. Não suponha que o inimigo não virá, esteja pronto para recebê-lo. Torne-se invencível.

Singularidade Aeronáutica

Histórias na aviação são únicas. Mesmo acontecendo no mesmo dia, a percepção dos elementos do evento será diferente. Agora entenda, a vitória na guerra não se repete, ela se adapta e varia sempre. Cada um de nós terá um motivo específico para ser contratado. Cada um tem uma história singular, que faz com que nós sejamos únicos.

Por isso, é importante se atentar com uma situação específica: ’empresa aérea contratando 200 pilotos com 100 horas para pilotar o A320.’ Você está pronto? Digo, exatamente naquele momento? Não. O que faz? Adquire uma dívida que fará desestabilizar sua vida financeira, ou até dos seus pais, por ansiedade. Quem movimenta todo o exército em busca de vantagens, perde-as. Outras oportunidades virão.

Aqui também entra uma dica: estratégia não se fala para ninguém (exceto para quem te ‘banca’).  Mas entenda uma coisa: a lei da guerra se baseia no engano. Finja ser incapaz quando puder atacar e ser capaz quando não puder. Velocidade, periodicidade, e preparo são fundamentais na carreira. Aproveite o despreparo dos semelhantes. Manobre por áreas inesperadas, esteja pronto de surpresa.

Ética Aeronáutica

  • Se preparar não é antiético. Usar estar regras para denegrir, menosprezar e até ferir seus semelhantes sim;
  • Autoconhecimento tem uma linha tênue com arrogância. O que separa as duas coisas são o que fará conhecendo a si mesmo. Se usará como uma arma de autodesenvolvimento ou para se mostrar. Autoconhecimento é poder, e estas estratégias seriam o meio pelo qual se conquista o poder; e tendo o poder, se conseguiria fazer tanto o certo quanto o errado;
  • Aquele que persegue a vitória durante muitos anos numa batalha decisiva, mas deseja apenas riquezas, postos ou honrarias, é um ignorante desumano;

Fly safe, folks.

Leave a Reply