Good morning/afternoon/evening, Ladies and Gentleman…

This is your Captain Speaking.

Já reparou? Pois é. Estamos de casa nova. Aeroblog, uma evolução horizontal do Aeroagora. Por quê? Simples.. Agora é ‘now’ apenas no Brasil.. E ‘aero’ ‘blog’ são a mesma coisa em quase todas as línguas do mundo. Em questão de alguns dias todos os artigos estarão traduzidos para o inglês, trazendo-nos tráfegos de todos os cantos do planeta. Mudança, é o novo normal. E com pegadas de mindset e um quê aeronáutico, te dou as boas vindas ao ‘cão velho com novos truques’.

Bem, quem me conhece sabe o quanto sou contra o tal do ‘quem indica’. E hoje pretendo explicar exatamente o por quê. Inicialmente, gostaria de te convidar a se questionar: o que é o ‘q.i.’? Muitos irão dizer: bem, é um networking. O networking, por definição é, a capacidade de estabelecer uma rede de contatos ou uma conexão com algo ou com alguém que têm um interesse em comum. Nobre, não? Concordo. O problema é que networking aeronáutico não funciona no Brasil.

Quem me conhece sabe o quanto eu defendo a meritocracia,  que é um modelo de hierarquização e premiação baseado nos méritos pessoais de cada indivíduo. Isso garante pessoas qualificadas em cargos com o poder de opinar e até mudar situações dentro do nosso escopo. Por exemplo: é muito comum que em nossa agência reguladora, haja a indicação política para gerir as normas e leis. Pessoas, que possuem pouco ou nenhum conhecimento do que vão atual, e por muitas vezes tendem a não mensurar a consequência dos seus atos em suas canetadas.

O ‘quem indica’ em minha visão, nada mais é que um posicionamento político. O mesmo ‘quem indica’ que destruiu estatais no Brasil, é aplicado no cockpit. E isto se reflete em profissionais mal qualificados, com pouca experiência, em cargos de responsabilidade. Entenda, networking não é ‘quem indica’. Networking deveria ser um modelo perfeitamente aplicado, com uso de dogmas meritocráticos, onde pessoas competentes estão em funções equivalente. Isto garante melhores salários, pois quem é bom sabe seu valor, maior estabilidade profissional, pois as empresas entendem que um profissional competente não é insubstituível, mas é difícil se ser achado. Quando você indica seu colega, amigo, ‘fella’, pra ficar no seu lado, sem olhar o mar de pessoas competentes mundo afora, você contribuiu para o ‘mecanismo’ que faz com que cada vez mais profissionais se tornem apenas números de matrícula, ou um nome de pista, quiçá.

Entenda, eu também não sou a favor de pessoas que se julgam semi-deuses no cockpit. CRM, está ai para provar que conversa no cockpit deve ser sadia. Opiniões devem sim ser divergentes, mas dentro do seu devido limite. Isto promoverá um pensar constante, que agregará conteúdo moral ao aviador. E como diria Nietzsche: ‘quem se propor a isto, colocará-se-a tão só por esse ato, além do bem e do mal’.

Blackhole do ‘Quem Indica’

Você já assistiu o filme Whiplash? Terence Fletcher (interpretado por J.K. Simmons) é o melhor professor de um conservatório americano. E ele vive procurando pessoas competentes para participar da banda de jazz que vai a competições, e é em olhada com prestígio por todos, por ser a melhor em qualquer competição. Em um dado momento, ele conhece o jovem Andrew Neiman (interpretado por Milles Teller), que almeja ser um dos maiores bateristas do jazz. Bem, o maestro Fletcher está longe de ser um exemplo de psicopedagogia. Mas uma coisa ao menos ele mostrou: que sem mérito, nunca você chega ao seu máximo.

O aviador que se propõe a ser indicado por amizade, coleguismo, se coloca na posição de nunca descobrir o aviador que deveria ter sido. Poderia ter se tornado um dos próximos Bob Hoovers da linha aérea. Mas hoje a tendência é: 14 perguntas bastam, um sete está bom, um satisfatório na ficha de voo está bom. Vamos ver no que vai dar?

A uma empresa Panamenha, fará seleção no Brasil. O que sei sobre ela? Bem.. Inicialmente que possui uma frota de 106 aviões, que decolam diariamente 315 voos, para 74 destinos em 31 países. A copa tem predominantemente 737 (700/800/Max/Max 10), e recentemente encomendou mais alguns. Eles exigem 1.000 horas de voo em multimotores e instrumentos, ICAO 4, e no mínimo 21 anos de idade. Até aqui, quem indica e meritocracia andam juntos. O ponto é que o cara que sabe seu valor, estudou o ‘inimigo‘:

Você usou seu networking de maneira ética, e ficou sabendo que suas chances aumentarão se você tiver experiência predominante em bimotores voando IFR, e não VFR, e se o seu ICAO for 5, não o 4. Sabe também que habilidades de processamento de informação, destreza numérica, e destreza verbal são habilidades técnicas que eles almejam. Sabe que estabilidade emocional, trabalho sobre pressão para manter a margem de pontualidade de 91% (que by the way é uma das melhores da indústria aeronáutica), ter segurança sobre si mesmo, capacidade de trabalho em equipe, orientação ao cliente, liderança, capacidade de resolução de problemas e tomada de decisões, adesão à normas e procedimentos, planejamento e organização e sociabilidade são essenciais. Suas chances agora são de 51%. O que é escrito aqui é desenvolvimento autêntico de pilotagem.

Certa vez, o Sr. José Efromovich (presidente da Avianca) falou em uma palestra: ‘veja, não é só voar o avião…’.

Tomada de Decisão

Enquanto você não estiver comprometido com algo, irá hesitar, querer desistir, e será sempre ineficaz. Em todos os gestos de iniciativa (e criação) reside uma verdade elementar que, quando ignorada, interrompe inúmeros planos e ideias magníficas: no momento em que você se compromete definitivamente com algo, a Providência também entra em ação. Diversas coisas acontecem para ajuda-lo, coisas que jamais teriam ocorrido de outra forma. Toda uma sequência de eventos inicia-se a partir dessa decisão, e você se vê beneficiado por todo tipo de incidentes inesperados, encontros e auxílio material com os quais nenhum homem sequer ousaria sonhar. Aprendi a ter um profundo respeito pelos seguintes versos de Goethe: ‘Se você pode fazer algo, ou sonha que pode, comece a fazê-lo. A ousadia traz inspiração, força e magia consigo’ (W H Murray)

A grande sacada dessa citação do montanhista W H Murray, é o que faz com que eu acorde pelas manhas e pense: poxa.. é difícil pra caramba.. mas vamos lá. Ser piloto é fácil, basta algumas horas em qualquer escola mediana, notas medianas, e coisas assim, e você tem sua CHT. Agora pilotar de verdade, tornar isso sua vida, é inevitavelmente uma questão de comprometimento. O sucesso em seleção não é nada, se não o resultado de ter se comprometido, ousado, saído do seu campo de conforto, para desbravar o mundo cheio de juízos da aviação. Eu me lembro exatamente em que momento tomei a decisão, e foi ao ler:

Demore o tempo que for para decidir o que você quer da vida, e depois que decidir não recue ante nenhum pretexto, porque o mundo tentará te dissuadir. (Nietzsche)

Demore o tempo que for, não pule etapas. Tudo tem o seu tempo determinado, e haverá tempo para todo piloto. 🙂

Fly safe, folks.

About The Author

Piloto Comercial em Treinamento pelo EJ, Bacharel em Aviação Civil pela Anhembi Morumbi, Blogueiro e Escritor aos 24 anos pelo Aeroblog. Rotaractiano pelo distrito 4430. Sou absolutamente louco por aviões, safety, filantropia e desenvolvimento pessoal. Baterista e amante do bom rock 'n roll, jazz e bossa nova.

Related Posts

Leave a Reply